Bula de Remédio: Griseofulvina


_

FULCIN®, SPOROSTATIN®.

Receituario Especial

GRUPO FARMACOLÓGICO
Antifúngico.

APRESENTAÇÕES E PREÇOS COMERCIAIS
Cpr de 500 mg (20 cpr R$ 17,20).

ESPECTRO
Dermatófitos como Mycrosporum canis, Mycrosporum audovini, Epidermophyton floccosum, Tricophyton schoenleinii, T. verrucosum, T. rubrum e T. mentagrophytes.

USO
Micoses de pele, do cabelo e das unhas pelos micro–organismos citados. Pode ser usada para o tratamento de “pé–de-atleta”, embora o tratamento tópico seja preferido.

CONTRAINDICAÇÃO
Porfiria, doença hepática grave.

POSOLOGIA
A dose varia de 500-1.000 mg/dia, dose única ou a cada 12 h. Duração do tratamento: Tinea capitis, por 2-4 semanas (eventualmente, até por 3 meses em casos selecionados); Tinea corporis, por 2-4 semanas; Tinea pedis, por 1-2 meses, e Tinea unguium, por 4-6 meses (na infecção das unhas dos pés, por até 1 ano).

MODO DE ADMINISTRAÇÃO
VO. Aumenta a absorção quando usada por VO com alimentos ricos em lipídeos. Evitar a exposição ao sol (chance de fotossensibilidade) e a utilização de álcool (risco de reação tipo dissulfiram).

EFEITOS ADVERSOS
Cefaleia (15%), algumas vezes intensa, que desaparece com a continuação do tratamento; neurite periférica, letargia, confusão mental, diminuição do desempenho em atividades diárias, fadiga, síncope, vertigem, visão borrada, edema macular transitório e acentuação dos efeitos do álcool. Pode haver psicose, insônia e perda auditiva transitória. Também, náuseas, vômitos, pirose, diarreia, flatulência e xerostomia. Pode ocorrer albuminúria e cilindrúria sem IR e hepatotoxicidade. Leucopenia, neutropenia e agranulocitose também já foram relatadas. Urticária, fotossensibilidade, eritema e exacerbação do lúpus, líquen plano e eritema multiforme (esses últimos são raros). Relato esporádico de doença do soro e angioedema (raros). Também possui efeito tipo estrógeno em crianças. Existe chance de reação cruzada com a penicilina e seus derivados.

RECEITUÁRIO
Receita Branca de Controle Epecial em 2 vias.

COMENTÁRIO
Droga em desuso por sua toxicidade e devido ao aparecimento de outras drogas antifúngicas. Há depósito da droga nas células precursoras da queratina, razão pela qual se obtém concentrações elevadas nos tecidos e nos anexos cutâneos.
Não deve ser utlizada em infecções que respondem a tratamento tópico. Em altas doses, é carcinogênica em animais.



Categoria: Medicamentos.

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>