Bula de Remédio: Levofloxacino


_

LEVAQUIN®, LEVCIN®, Levotac®, LEVOXIN®,TAMIRAM®, TAVANIC®.

Receituario Especial

GRUPO FARMACOLÓGICO
Antibacteriano; quinolona.

APRESENTAÇÕES E PREÇOS COMERCIAIS
Cpr revestidos de 250 (7 cpr R$ 22,37) ou 500 mg (7 cpr R$ 63,27); bolsas com 100 mL da solução diluída em glicose a 5% com 5 mg/mL (R$ 148,13).

APRESENTAÇÕES/PREÇOS GENÉRICOS
Cpr revestidos de 250 (7 cpr R$ 29,84) ou 500 mg (7 cpr R$ 46,11); bolsa plástica com solução injetável de 100 mL com 5 mg/mL (R$ 85,92).

ESPECTRO
Apresenta atividade in vitro contra um amplo espectro de bactérias aeróbias e anaeróbias Gram-positivas e Gram-negativas, incluindo Staphylococcus aureus, Staphylococcus epidermidis, Enterococcus avium, Clostridium perfringens, Enterobacter aerogenes, Bacteroides fragilis, Proteus vulgaris e Neisseria gonorrhoeae. Também apresenta boa atividade contra Mycoplasma pneumoniae e Chlamydia sp., Moraxella catarrhalis, Streptococcus pneumoniae, Legionella pneumophilia, Staphylococcus pyogenes e Escherichia coli. In vitro é ativa contra o Mycobacterium tuberculosis (concentrações ≤ 1,3 μg/mL), contra micobactérias do Complexo Avium-intracelullare (MAC) (concentrações plasmáticas entre 10-100 μg/mL) e contra os Mycobacterium fortuitum e Mycobacterium kansasii (concentrações ≤ 3 μg/mL).

USO
Pneumonia adquirida na comunidade, pneumonia nosocomial, exacerbação de bronquite crônica, sinusite, infecção do trato urinário, incluindo pielonefrite, infecção de pele e tecidos moles. Em pediatria, limita-se o uso a infecções graves não responsivas aos tratamentos usuais.

USO NAS MICOBACTERIOSES
Na nova proposta do PNCT/MS, a levofloxacina substituirá a ofloxacina no esquema de tratamento de pacientes com multirresistência, sendo usada em associação com estreptomicina, terizidona, etambutol e pirazinamida. Também pode substituir a ofloxacina nos esquemas alternativos para pacientes com hepatopatia crônica descompensada ou que apresentam hepatotoxicidade aos esquemas básicos de 1a linha, com persistência das provas de função hepática alteradas. Pode ser utilizada ainda na composição de esquemas para micobacterioses atípicas, em associação com claritromicina, etambutol, rifabutina ou outros.

CONTRAINDICAÇÃO
Hipersensibilidade aos componentes da fórmula. Em animais de laboratório, as quinolonas causaram erosões das cartilagens de crescimento, mas esse efeito nunca foi relatado em seres humanos. Assim, as quinolonas podem ser usadas em pediatria se não houver opção adequada e se os benefícios forem indiscutíveis.

POSOLOGIA
Adultos: VO ou EV, 500 mg, 1x/dia; em casos graves, 750 mg/1x/dia. Crianças: 10 mg/kg/dia, a cada 24 h. Na tuberculose: 21-35 kg – 250-500 mg/1x/dia; 36-50 kg – 500-750 mg/1x/dia; >50 kg – 750 mg/1x/dia.

MODO DE ADMINISTRAÇÃO
Os cpr podem ser ingeridos independentemente das refeições. Deve-se evitar administração por via EV rápida ou em bolus. A infusão deve ser lenta, por um período mínimo de 60 min. Não administrar por via IM, intraperitoneal ou SC.

EFEITOS ADVERSOS
Em geral, é bem tolerado. As reações adversas mais comuns incluem diarreia, náuseas, vômitos, dor abdominal, prurido, exantema, vaginite. Da mesma forma que outras quinolonas, pode provocar efeitos neurológicos adversos, como vertigem e tonturas. O paciente deve ser aconselhado a não dirigir automóvel, não operar máquinas, ou seja, não realizar atividades que exijam coordenação e alerta mental, até que se conheça sua reação ao fármaco. Também pode provocar cefaleia, artralgias, rash, trombocitopenia, leucopenia, aumento de enzimas hepáticas.

RECEITUÁRIO
Receita Branca de Controle Epecial em 2 vias.



Categoria: Medicamentos.

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>