Bula de Remédio: Minociclina


_

Minoderm®.
Cloridrato de minociclina.

Receituario Especial

GRUPO FARMACOLÓGICO
Antibacteriano; tetraciclina.

APRESENTAÇÕES E PREÇOS COMERCIAIS
Cpr com 100 mg (10 cpr R$ 49,52).

APRESENTAÇÕES/PREÇOS GENÉRICOS
Cpr com 100 mg (9 cpr R$ 19,51).

ESPECTRO
Ativa contra Chlamydia sp., Mycoplasma pneumoniae e Brucella sp. Também efetiva contra Francisella tularensis, Vibrio cholerae, Campylobacter sp., Ureaplasma sp. e diversas espiroquetas, incluindo a Borrelia burgdorferi. Helicobacter pylori também é sensível. As tetraciclinas são os antibacterianos de escolha no tratamento das riquetsioses. Ativa contra Mycobacterium marinum. Pode ser usada em infecções por Nocardia sp. e por Actinomyces sp. Eficaz para erradicar meningococos da faringe de portadores. É ativa contra Stenotrophomonas maltophilia, sendo opção de tratamento eficaz contra esse patógeno. Ativa contra Acinetobacter sp., inclusive contra cepas multirresistentes. Embora seja ativa in vitro contra cocos Gram-positivos aeróbios, não deve ser usada para tratar infecções por Streptococcus b-hemolíticos do grupo A e Streptococcus pneumoniae devido à existência de cepas resistentes. Excelente atividade antiestafilocócica.

USO
No tratamento de doenças sexualmente transmissíveis, como uretrites, endocervicites, doença inflamatória pélvica e infecções por Chlamydia sp. As tetraciclinas e os macrolídeos são as drogas de escolha no tratamento da infecção por M. pneumoniae e no tratamento das riquetsioses. Em combinação com um aminoglicosídeo, é tratamento efetivo contra a brucelose. Pode ser alternada com a ampicilina ou com outro antibiótico de amplo espectro para tratamento supressivo intermitente em pacientes com infecções broncopulmonares crônicas, mas a doxiciclina é preferida pela melhor tolerabilidade. Usada no tratamento da doença de Lyme, quando não há envolvimento do SNC. Infecções intestinais por Vibrio sp. e Campylobacter sp. e infecções de pele e de tecidos moles por Pasteurella multocida respondem bem ao tratamento. É a tetraciclina mais ativa contra Staphylococcus sp., podendo ser utilizada em infecções inclusive por cepas resistentes à oxacilina.

CONTRAINDICAÇÃO
Gestação (categoria de risco D), crianças com ≤ 8 anos de idade (causa retardo do crescimento ósseo e descoloração dos dentes).

POSOLOGIA
Adultos: 200 mg, como dose inicial, e, após, 100 mg, de 12/12 h. > 8 anos: 4 mg/kg, como dose inicial, e, após, 2 mg/kg, de 12/12 h.

MODO DE ADMINISTRAÇÃO
VO. Pode ser administrada com alimento sólido ou com leite.

EFEITOS ADVERSOS
Vertigens, desequilíbrio, zumbido, náuseas, vômitos, úlceras e pancreatite. Causa descoloração do esmalte dos dentes, que apresentam cor cinza ou marrom, e retardo do desenvolvimento ósseo nos fetos e nas crianças. Pode haver superinfecção por Candida sp., bem como diarreia por alteração da microbiota intestinal. Raramente, é causa de colite pseudomembranosa. Pode haver leucocitose, presença de linfócitos atípicos, de granulações tóxicas e de púrpura trombocitopênica. Hipersensibilidade é rara. Causa fotossensibilidade, com queimadura excessiva se houver exposição ao sol. Onicólise e pigmentação das unhas.

RECEITUÁRIO
Receita Branca de Controle Epecial em 2 vias.

COMENTÁRIO
Necessita de redução de dose na disfunção hepática grave.
Tetraciclinas vencidas ou deterioradas podem causar náuseas, vômitos, poliúria, polidipsia, proteinúria, glicosúria e grande aminoacidúria (forma de síndrome de Fanconi), assim como lesões de pele na face, tipo LES.



Categoria: Medicamentos.

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>