Bula de Remédio: Tacrolimus


_

Prograf®, Protopic®.

GRUPO FARMACOLÓGICO
Imunossupressor; inibe a ativação dos linfócitos T possivelmente por ligar-se à proteína intracelular FKBP-12.

APRESENTAÇÕES E PREÇOS COMERCIAIS
Cps de 1 (100 cps R$ 890,60) e 5 mg (50 cps R$ 2.226,47); amp de 1 mL com 5 mg (10 amp R$ 4.377,48).

USO
Transplantes cardíaco, renal ou hepático; uso tópico (Protopic®) em dermatite atópica em pacientes que não respondem à terapia convencional. Está em estudo o uso em transplante de intestino e de medula óssea.

CONTRAINDICAÇÃO
Lactação.

POSOLOGIA
Adultos. Transplante renal: VO: iniciar com 0,1-0,3 mg/kg/dia, dividido em 2 doses (iniciar nas primeiras 24 h após o transplante); EV: iniciar com 0,03-0,05 mg/kg/dia, em infusão contínua (iniciar nas primeiras 6 h após o transplante). Transplante hepático: VO: iniciar com 0,1-0,15 mg/kg/dia, dividido em 2 doses (iniciar nas primeiras 6 h após o transplante); EV: 0,03-0,05 mg/kg/dia, em infusão contínua (iniciar nas primeiras 6 h após o transplante). Prevenção da doença do enxerto versus hospedeiro: EV: 0,03 mg/kg/dia, em infusão contínua. Crianças. Transplante hepático: VO: iniciar com 0,15-0,2 mg/kg/dia, dividido em 2 doses (iniciar nas primeiras 6 h após o transplante); EV: 0,03-0,05 mg/kg/dia, em infusão contínua (iniciar nas primeiras 6 h após o transplante).

MODO DE ADMINISTRAÇÃO
VO ou EV. Administrar com o estômago vazio; geralmente, utilizada de 12/12 h; se for utilizada 1x/dia, ingerir o cpr pela manhã. A formulação parenteral é para uso EV em infusão contínua (diluir para 0,004 mg/mL em SF 0,9% ou SG 5%).

EFEITOS ADVERSOS
Mais comumente, podem ocorrer dor torácica, hipertensão arterial, tontura, cefaleia, insônia, tremor, prurido, rash, diabete melito, hiperglicemia, hiper ou hipocalemia, hipercolesterolemia, hipomagnesemia, hipofosfatemia, dor abdominal, constipação, diarreia, dispepsia, vômito, infecções do trato urinário, anemia, leucocitose, trombocitopenia, ascite, artralgia, dor nas costas, fraqueza, parestesias, anormalidades da função renal, oligúria, aumento da creatinina, dispneia, derrame pleural. Menos comumente, podem ocorrer confusão, agitação, encefalopatia, alucinações, convulsão, depressão, angina, insuficiência cardíaca congestiva, arritmias, palpitação, trombose, distúrbios da coagulação, icterícia, colangite.

COMENTÁRIO
Geralmente é utilizado em associação com corticosteroides.
Deve-se monitorar hemograma, plaquetas, ureia, creatinina, glicose, eletrólitos, ECG e os níveis séricos da medicação.
Níveis terapêuticos no transplante de fígado: 5-20 mg/mL; no transplante renal: 1-3 meses: 7-20 mg/mL; e nos 4-12 meses pós-transplante renal: 5-15 mg/mL.



Categoria: Medicamentos.

1 Comentário em Bula de Remédio: Tacrolimus

  1. Srs. recebi figado novo à cinco anos aos cuidados da equipe HC – Ctba( Dr Julio Coelho – Dra Monica Parolin )
    Até então tenho qualidade de vida invejavel, sempre atento às recomendações dadas.
    Meu unico medicamento hoje 3 ml tacrolimus diarias.

    Sou Grato à todos.
    Osny Peretti..

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>