Doenças Nutricionais – Beribéri


_

O beribéri é uma doença provocada pela falta de vitamina B1 no organismo, o que provoca fraqueza muscular e dificuldades respiratórias. Uma de suas causas: o fungo Penicillium citreonigrum, que através da liberação da toxina citreoviridina inibe sua absorção. Outras enzimas, encontradas em peixes de rio, também podem causar deficiência de B1.

ETIMOLOGIA

A origem do termo não é clara, apesar de muitas hipóteses já terem sido sugeridas. Uma delas é que o termo venha de uma expressão cingalêsa que significa “fraco, fraco” ou “não posso, não posso”, a palavra duplicada para dar ênfase[1]. [2] [3] [4] Outra hipótese é que ela venha do arábico “bhur-bhari”, que significa “asma de marujo”. [5] Em 1630, um médico holandês chamado Jacob Bonitus encontrou uma doença enquanto trabalhava em Java. Na primeira descrição conhecida do Beribéri, ele escreveu “Uma aflição muito debilitante, que ataca homens, é chamada pelos habitantes de Beriberi (que significa ovelha). Acredito que aqueles acometidos por essa doença, com seus joelhos trêmulos e pernas enrijecidas, andam como ovelhas. É uma forma de paralisia, ou Tremor: pois ela penetra o movimento e a sensibilidade das mãos e por vezes todo o corpo.” [6]

HISTÓRIA

Christiaan Eijkman, um médico holandês, foi o primeiro a demonstrar que o Beribéri é causado por carência alimentar. Seu trabalho e de seu amigo Adolphe Vorderman, em 1897 levou a descoberta das vitaminas. Recebeu um Prémio Nobel em 1929, junto com Sir Frederick Hopkins, embora Vorderman não.

O nome da doença se refere as palavras “não posso, não posso”, na língua de Sri Lanka. A vitamina B1 (tiamina) é de grande importância para o bom funcionamento cerebral, relaxamento do sistemanervoso e fortalecimento do músculo do coração. Quando, contudo, há carência no organismo desenvolve-se uma patologia conhecida como Beribéri.

PREVALÊNCIA

O beriberi é raro em países desenvolvidos porque a maior parte dos alimentos beneficiados consumidos são enriquecidos com vitaminas. Sem considerar a presença de arsênio no ambiente (contaminação de poços artesianos, p. ex.), a absorção de quantidade suficeinte de tiamina pode se dar através de uma dieta normal, saudável. Atualmente o beribéri ocorre predominantemente em pacientes alcóolatras. O consumo excessivo de álcool pode levar a uma nutrição inadequada, e álcool em excesso no organismo prejudica a absorção e armazenamento de tiamina.

No Brasil, onde a doença era típica dos escravos no Brasil Colônia, a doença tem ressurgido com um aumento de casos relatados nos estados do Maranhão, Tocantins e Amapá a partir de 2006. As autoridades sanitárias brasileiras identificaram a contaminação de arroz por uma micotoxina – uma toxina formada no metabolismo de um fungo presente no arroz – algo que também ocorreu no começo do séc. XX no Japão[7].

SINTOMAS E EFEITOS

A doença pode afetar o coração, dando origem a uma cardiomiopatia por deficiência nutricional chamada de beribéri cardíaco.

O beribéri infantil ocorre em bebês que são amamentados por uma mãe com deficiência de vitamina B1, e é caracterizado pela insuficiência cardíaca, pela perda da voz e pela lesão de nervos periféricos, comumente entre o segundo e o quarto mês de vida.

DIAGNÓSTICO

Um exame físico pode evidenciar sinais de falência cardíaca congestiva, que incluem os seguintes:

  • Dificuldade de respirar associada a veias jugulares salientes
  • Aumento no tamanho do coração
  • Fluído nos pulmões
  • Batimentos cardíacos acelerados
  • Inchaço em ambas as canelas
  • Confusão, perda de memória (amnésia), delírios e, em estágios avançados da doença, perda de sensibilidade a vibrações.

Um exame neurológico pode indicar:

  • Alterações no modo de andar
  • Problemas de coordenação motora
  • Reflexos diminuídos
  • Desfalecimento das pálpebras

Exames sanguíneos podem medir diretamente a concentração de tiamina no sangue, ou então uma queda na atividade da transquetolase, uma enzima dependente da tiamina.

TRATAMENTO

A cura da doença se dá pela administração da vitamina B1, corrigindo assim a sua carência. São alimentos ricos em tiamina: cereais em grão, leite, legumes, ovos, peixes e plantas. A redução da ingestão do álcool é importante, já que este dificulta a absorção da vitamina. O beribéri é um tipo específico de polineurite.

No tratamento desta doença, vemos a importância de uma intervenção fisioterapêutica cardiorrespiratória, já que o paciente apresenta dificuldades respiratórias devido a alterações musculares, levando o indivíduo a um grande encurtamento muscular que ainda acarreta grandes dificuldades de deambulação e realização das atividades da vida diária. O beribéri é uma doença que se caracteriza por alterações nervosas, cerebrais e cardíacas. Sintomas: As alterações nervosas começam como uma sensação de formigamento nos dedos dos pés, que se torna particularmente intensa à noite, câimbras musculares na panturrilha e dor nas pernas e nos pés. Os sintomas iniciais do beribéri podem incluem a confusão mental, a laringite e a visão dupla.

O tratamento consiste na administração intravenosa de vitamina B1 em uma dose 20 vezes superior à QDR durante 2 a 3 dias. Posteriormente, a vitamina é administrada pela via oral.

Conteúdo retirado do site Wikipedia, de acordo com a GNU Free Documentation License.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>